Logotipo Obra Social  Dom Bosco

Barra de Cor

Quem Somos?


Somos uma FAMÍLIA, como quis o nosso próprio fundador São João Bosco, o apóstolo dos jovens. Somos a continuação do bem que se desenvolve em várias partes do mundo com os seguidores de Dom Bosco. Somos sementes da seara que mãos camponesas souberam cultivar.


Visita do Padre Ángel Artime
Padre Ángel Artime, décimo sucessor de Dom Bosco, fundador da Congregação Salesiana e Pe. Rosalvino com as crianças dos seviços socioeducativos

Objetivo Geral:


Promover a formação integral da criança, do adolescente, do jovem, do adulto, do idoso e das famílias, buscando a educação à fé e à cidadania.


Objetivos Específicos:


Unir e animar todas as forças vivas da Família Salesiana e da sociedade para a ação educativa e pastoral.


Promover as lideranças, abrindo espaço nos diversos projetos e lançando-as na ação política – social, gerando em toda a CEP (Comunidade Educativo-Pastoral) a necessidade do exercício da cidadania.


Trabalhar em toda a CEP a dimensão educativa e evangelizadora da família, contribuindo efetivamente para o seu protagonismo. Desenvolver ações sociais que amenizem os efeitos da pobreza e da miséria agravadas pela crise econômica e social.


Desenvolver projetos educativos e ações alternativas voltadas para a formação integral, que possam prover as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos, os idosos e as famílias, em suas necessidades e em problemas especiais.



Missão:

Contribuir com a construção de uma sociedade justa, humana e igualitária, por meio de atividades socioeducativas que visem à melhoria da qualidade de vida e o pleno exercício da cidadania das famílias em situação de vulnerabilidade, exclusão ou risco social e pessoal.

Visão:

Ser uma referência nacional na realização de ações socioeducativas voltadas para a família em situação de vulnerabilidade, favorecendo seu protagonismo no desenvolvimento local.

Vocacão:

A Obra Social Dom Bosco está vocacionada para realizar atividades socioeducativas que envolvam a mobilização de comunidades, a articulação com o poder público, ações voltadas para a juventude e pessoas em situação de vulnerabilidade, exclusão ou risco social e pessoal na medida em que dispõe de um sólido modelo de educação (o Sistema Preventivo, proposta pedagógica de Dom Bosco, baseada na presença contínua e no trinômio razão-religião-amor) e de uma rede (Rede Salesiana Brasil de Ação Social) com infraestrutura própria e equipes treinadas para o trabalho social.

Princípios e valores:

  • Trabalhar pelo bem comum, para a vida e pela dignidade humana;
  • Atuar tendo como instrumentos a fraternidade e a solidariedade.
  • Colocar a ética na orientação de todas as suas atividades e relações com beneficiários, apoiadores e parceiros.
  • Valorizar o trabalho de todos aqueles que se empenham para atender pessoas em situação de vulnerabilidade.
  • Utilizar a educação como sistema de prevenção para crianças e jovens.
  • Respeitar a diversidade de idéias, crenças e pessoas.
  • Concentrar sua atuação no trinômio razão- religião - bondade.

Desafios:

  • ARTICULAÇÃO REGIONAL;
  • AVALIAÇÃO;
  • COMPROMETIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS EDUCADORES;
  • COMUNICAÇÃO;
  • SUSTENTABILIDADE;
  • TRABALHO EFETIVO COM A FAMÍLIA;
  • VOLUNTARIADO.

NOSSO TRABALHO!


A Obra Social Dom Bosco oferece 40 cursos profissionalizantes para o público de 15 a 59 anos, no CEDESP (Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo). O público de mais de 60 anos em diante é atendido no Núcleo de Convivência de Idosos (NCI). Para crianças e adolescentes de 06 a 14 anos a Obra tem quatro Centros para Crianças e Adolescentes (CCA): Núcleo Nossa Senhora Aparecida, São José, Bom Pastor e Santo Antônio. O Circo Social Dom Bosco atende crianças e adolescentes de 6 a 17 anos oferecendo 15 oficinas diferentes. Mediante a necessidade de Proteção Especial são atendidos crianças e adolescentes em 8 unidades do SAICA - Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes: Casa Auxiliadora, Nossa Senhora Aparecida, Laura Vicuña, Madre Mazzarello, Domingo Sávio e Irmão Genésio. Outro trabalho desenvolvido são as Medidas Socioeducativas em Meio Aberto (MSE/MA – Modalidades: Liberdade Assistida e Prestação de Serviços à Comunidade). Outras vertentes da Obra que atendem à comunidade local e entorno: Atendimento Odontológico e Psicossocial, Casa do adolescente, Farmácia Comunitária, Inclusão Digital, Educação Socioambiental, Escola de Samba, Programa de Aprendizagem, Cursos de Tecnologia da Informação, Varejo e Moda.


Sede da Obra Social Dom Bosco
Sede Obra Social Dom Bosco - Itaquera

A Obra tem uma forte incidência no bairro influenciando na política, gerando transformações e progressos por meio de suas articulações como: construções de estradas, até mudando o nome da estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metroviários) “Jacú Pêssego”, para o nome “Dom Bosco”, grande educador.


Proposta Pedagógica:


A concepção que mais se adequa à assistência social no que diz respeito à metodologia educativa é a mesma apresentada na Pedagogia Social, cujo principal expoente no Brasil é Paulo Freire, que vai da Pedagogia do Oprimido à Pedagogia da Libertação. A partir da concepção dialética da educação, entende-se a educação pensada na sua relação intrínseca com o trabalho, dentro de um contexto político e econômico injusto e excludente.


Paulo Freire dizia que “A educação não é a chave das transformações do mundo, mas sabemos que as mudanças do mundo são um quefazer educativo em si mesmas. Sabemos que a educação não pode tudo, mas pode alguma coisa. Suas forças residem exatamente na sua fraqueza. Cabe a nós pôr sua força a serviço dos nossos sonhos.”


Maria Stela Graciani em sua recente publicação diz que a “a Pedagogia Social instiga a capacidade de sonhar com uma realidade mais humana, menos feia e mais justa, pois é sabido que existem muitas injustiças e mudar o mundo é difícil, mas nada de humano existirá em nós se não tentássemos. (...) Portanto, a Pedagogia Social se propõe a: criar, inicialmente, uma teoria renovada da relação homem-sociedade-cultura, com uma ação pedagógica essencialmente libertadora, a partir do exercício em todos os níveis e modalidades da prática social; realizar-se no domínio específico da prática social com classes sociais populares, a partir de um trabalho político-educacional de libertação popular, com o intuito de ser conscientizadora com sujeitos, grupos e movimentos das camadas excluídas; concretizar-se como ação educativa com agentes e sujeitos comprometidos, na qual se estabelece, por meio da relação dialógica, um sistemático processo de intercâmbio de conhecimento e saberes em que a troca de experiência é primordial; orientar-se pela Pedagogia libertadora protagônica, baseada fundamentalmente na memória histórica, na identidade coletiva, na dinâmica cultural, na possibilidade entre a capacidade lógica de compreender os liames capitalistas e a valorização da participação comunitária, autoestima, autovalorização, autoconfiança e autodeterminação de sujeitos que tentam construir uma nova ordem social, econômica e cultural.(...) Em termos gerais, a Pedagogia Social visa o desenvolvimento humano com base no autoconhecimento, na autovalorização, no autoconceito, na autoconfiança, na autoprojeção, na autotelia, na autodeterminação, na autopreservação, na autorrealização, perpassando as seguintes dimensões: dimensão democrática, dimensão transformadora, dimensão participativa e dimensão solidária”. (Pedagogia Social, Editora Cortez, 2014, p. 20-23)


Dom Bosco, no século XIX, já convivia com a exclusão em plena Revolução Industrial e propôs uma pedagogia de inclusão e de diálogo, utilizando-se do ensino de uma profissão também como um meio para a obtenção dos objetivos propostos que em sua máxima tinha como meta “Formar honestos cidadãos”.


Assim, a metodologia que apresentamos, afinada e aliada à Pedagogia Social, se dá por meio de um trabalho preventivo e educativo, junto à comunidade, pautada nos princípios de Dom Bosco, que se fundamenta no respeito e atendimento aos direitos inerentes a pessoa humana, na proteção integral, assegurando-se todas as oportunidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.


O “Sistema Preventivo”, ou mais explicitamente, a Proposta Pedagógica de Dom Bosco, cresceu e progrediu nas muitas e variadas instituições e obras realizadas por seus colaboradores e seguidores.


O Sistema Preventivo é a criação mais original de Dom Bosco, nome e sobrenome da educação salesiana. Mas não é uma exclusividade. Outros educadores, antes e em concomitância com Dom Bosco, já haviam divisado a preventividade como fulcro da educação, mas Dom Bosco deu-lhe alma, pôs-lhe dentro algo seu.


Há uma estreita relação entre prevenção e educação. Prevenir não é somente evitar o mal, mas antecipar o bem: dois conceitos fundamentais em educação. O projeto socioeducativo tem com centro a pessoa, na singularidade de sua existência e quer ajudá-la a realizar o próprio projeto de vida. O sistema preventivo pode, portanto, ser definido como processo educativo baseado no diálogo.


Sistema Preventivo

A pedagogia salesiana é a escolha racional de um amor de privilégio, guiado pelo princípio da maior necessidade humana que é o amor: dar o máximo àqueles que da natureza e da circunstancia conseguiram o mínimo. Dom Bosco “não quer bem para educar, mas educa porque quer bem”. E, no querer bem e no querer educar, parte da razão e da religião. Daí os três pilares do Sistema Preventivo: amor, razão e religião.


AMOR (bondade, amizade e amabilidade): assegura a plenitude de expansão vital, a capacidade de resposta ao afeto. O amor impregnado de discernimento e compreensão humana, de ternura paterna e fraterna, faz com que o educador viva a vida dos usuários. Família (ambiente de família) e alegria são os dois postulados dessa pedagogia do amor, que não existe em concreto, sem um ambiente e um clima de família, de confiança cordial e afetuosa.


RAZÃO: relacionamento interpessoal, ilumina a compreensão dos fatos da existência, dos fundamentos das exigências morais. Com a razão Dom Bosco completa o amor com a compreensão profunda e concreta das necessidades, das exigências, das expectativas das pessoas e o transforma em programas completos e, ao mesmo tempo, concretos de vida.


ESPIRITUALIDADE: horizontes humanos e divinos de amplitude sem confins, forma o usuário para o convívio humano e social e para o seu destino transcendente, respeitando-se a diversidade de religiões e crenças. A espiritualidade é a atitude que alicerça a vida conscientemente vivida, na relação com o transcendente, tornando-se força propulsora para a ação.


Esta Proposta é um estilo de educação, feito de ação e reflexão que pretende desenvolver no usuário o protagonismo e o seu sentido de pertença à comunidade educativa. Caracteriza-se:

Os educadores devem estar presentes no meio dos usuários (educandos), em seus grupos e atividades. Há, para a realização de nossa missão, a necessidade de um trabalho intenso de conscientização das famílias, onde procuramos desenvolver nos usuários e familiares uma consciência mais crítica dos fatos ocorridos.


Os educadores participam do planejamento, execução e avaliação das atividades pedagógicas, procuram incentivar a participação dos usuários e familiares de forma espontânea, criativa e democrática. Os usuários exercem, assim, sua condição de parceiros e coautores no desenvolvimento do trabalho social, assegurando a prática coletiva de exercício de cidadania.


Assim sendo, os objetivos propostos são plenamente alcançados, por meio do envolvimento e compromisso de todos os colaboradores, norteando ações para atingir as metas propostas.


A ação da Obra Social Dom Bosco é ininterrupta, sendo que nos finais de semana e nas férias escolares do mês de janeiro, desenvolvemos propostas criativas, buscando maior participação da comunidade, abrindo a possibilidade para que outros jovens e adultos que não estão inseridos na instituição possam também usufruir dos espaços e atividades planejadas.


Dessa forma, há um trabalho preventivo e educativo, junto à comunidade, pautado nos princípios de Dom Bosco que se fundamenta no respeito e atendimento aos direitos inerentes à pessoa humana, na proteção integral, assegurando-se todas as oportunidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.


Esse trabalho representa o respeito às relações humanitárias, acredita na promoção do jovem, do adulto e da família como um todo. Visa à formação social e o desenvolvimento das aptidões culturais, profissionais, artísticas, esportivas e de meio ambiente. Além de estar em plena sintonia com as Metas do Milênio da ONU (Organização das Nações Unidas), especialmente as seguintes: Acabar com a fome e a miséria; Educação básica de qualidade para todos; Igualdade entre sexos e a valorização da mulher; Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente; Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento.


A divisão do trabalho pedagógico está organizada para colaborar no desenvolvimento humano, social, político e técnico do usuário. O currículo é pensado como instrumentação para o exercício da cidadania democrática. Nessa perspectiva, contempla conteúdos e estratégias de aprendizagem que capacitam o ser humano para a vida em sociedade, para a atividade produtiva e para a experiência subjetiva.


Nesse contexto, fica claro que o usuário não aprende somente na instituição, mas também fora dela. Como a aprendizagem não acontece da mesma forma e no mesmo ritmo para todos os usuários, a instituição tem o papel fundamental de respeitar essa diversidade e buscar mecanismos que favoreçam a inclusão de todos no processo de aprendizagem, de formas variadas e em tempos diferentes.